domingo, 20 de maio de 2012

Reta Palavra


PALAVRA RETA

     Ao trovão ainda não ouço. Mas ao longe relâmpagos furtam ao céu por breves instantes, as trevas. 
     É noite e ainda não ouço os trovões. E ao longe, os raios ferozes serpenteiam nas trevas; e é só isto o que quero dizer: à noite, este momento é brevemente iluminado, porque está encoberto o céu e não há estrelas nem luar.
     Mas já agora os trovões roubam ao silêncio o silêncio e troam num concerto de luz e som ao mesmo tempo em que os coriscos roubam ao escuro o escuro, iluminando breve o céu, que agora está aos roncos. 

Um comentário:

  1. Cláudia S. Tomazi1 de junho de 2012 05:22

    "é só isso que quero dizer"

    tive a oportunidade de conhecer alguém com palavras rectas, e a quem teria gosto de chamar de amigo.
    pois amigo é aquele que aproxima-nos de nos mesmos, defende-nos de nos mesmos quando somos algo estranho e insecto. acredito em cavaleiros, acredito!

    agradeço carinhosamente ao julio e ao professor Doutor João de Castro Nunes, e que reforço dos laços por fé a dignidade.
    Acredito nas tábuas de São Vicente de Fora, são vivas e necessárias a história de Portugal, são presentes e transmitem uma verdade perene, os homens e mulheres que fazem e são parte deste contexto é a própria acção existencial.

    ResponderExcluir