quarta-feira, 11 de janeiro de 2012

Dom Pedrro II



Ingratos

Hoje tenho a honra de celebrar um Soneto,
em Sol Maior!
Hoje reverencio o homem,
superior, magnânimo, cientista,
integro e amigo do povo...
Monarca verdadeiro
e um Imperador Honrado...
Um verdadeiro HOMEM!
E o faço através de sua própria voz,
num soneto majestoso,
Obra Prima da Alma Humana.

Ingratos

Não maldigo o rigor da iníqua sorte,
Por mais atroz que fosse e sem piedade,
Arrancando-me o trono e a majestade,
Quando a dous passos só estou da morte.

Do jogo das paixões minha alma forte
Conhece bem a estulta variedade,
Que hoje nos dá contínua f'licidade
E amanhã nem — um bem que nos conforte.

Mas a dor que excrucia e que maltrata,
A dor cruel que o ânimo deplora,
Que fere o coração e pronto mata,

É ver na mão cuspir a extrema hora
A mesma boca aduladora e ingrata,
Que tantos beijos nela pôs — outrora.

Dom Pedro II

E ao senhor JCN, sugiro esse link

http://www.sonetos.com.br/enviar.php

Um comentário:

  1. Ninguém melhor para tomar por modelo, caro amigo! JCN

    ResponderExcluir